Cursos Online - Cursos 24 Horas

5 cursos online úteis para empreendedoras

O perfil académico das empreendedoras moçambicanas é bastante diferenciado. Encontramos estudantes, mulheres com formação universitária e até aquelas que não tiveram oportunidade de finalizar o ensino médio. A verdade é que a educação não é uma barreira para quem deseja iniciar um negócio.

No entanto, ao longo da trajectória, algumas mulheres sentem necessidade de aperfeiçoar o seu desempenho nos negócios e decidem começar um curso profissional. E aí surge outro dilema, falta de tempo para participar de um curso presencial.

E como sempre (ou não) temos a tecnologia a nosso favor, os cursos online permitem que profissionais e empreendedoras possam melhorar as suas competências com um formato de educação flexível. Dentre várias empresas mundiais que oferecem cursos online, eu tive o primeiro contacto com o Cursos 24h, uma empresa brasileira que oferece diversos cursos e sem mensalidade. Na altura, dava os primeiros passos na área de comunicação e marketing, fiz o curso de Corel Draw, uma ferramenta de design que me ajudou a criar os primeiros logótipos e folhetos.

Recentemente, pediram-me recomendação de cursos para empreendedores e retomei ao cursos 24h para seleccionar alguns cursos. Fiz essa lista de 5 cursos úteis, espero que gostem.

  1. Administração de empresas

Uma oportunidade para tornar um negócio organizado, eficiente e bem administrado. O curso de administração de empresas é útil para quem deseja reduzir custos e aumentar a produtividade. Aborda temas de administração de vários ramos da empresa: produção, finanças e marketing.

      2. Administração de tempo

Ideal para mulheres que gerem os negócios sozinhas e são verdadeiras “faz tudo” da empresa. A administração do tempo permite conciliar a vida profissional e pessoal, diminui o stress e também melhora a produtividade.

       3. Inglês

As relações nos negócios não apenas locais, algumas empreendedoras têm fornecedores e parceiros no estrangeiro. Sabemos que o inglês é uma língua universal, por isso nada melhor que um curso personalizado, que avalia os seus conhecimentos e objectivos e seleccionam matérias adequados para cada participante.

      4. Negociação

A negociação ganha ganha é um dos princípios da produtividade. No mundo dos negócios é importante saber apresentar o seu ponto de vista e sair de satisfeito numa parceria comercial ou na interacção com clientes.

     5. Aprenda a falar em público

Em todas fases do negócio, a empreendedora vai precisar de apresentar a sua ideia, vender o produto ou atrair parceiros num evento público. Por isso nada melhor que conhecer as técnicas básicas para falar em público.

Nessa fase do texto já deve estar interessada num curso online, mas não sabe como começar. É só clicar na imagem abaixo, para acessar o cursos 24h e escolher o melhor curso para si.

O blog Empreendedora Solo está cadastrado no programa de afiliados do curso 24h. o que isso significa? Cada vez que você clicar no banner cursos 24 aqui do blog, iniciar um curso, nós teremos uma comissão. Esta é uma das fontes de receita do blog, para que continuarmos a conteúdos de qualidade para empreendedores. Vamos empreender?

Como aplicar a gestão de talentos no início do negócio

O mundo corporativo está cada vez mais dinâmico. A inovação tecnológica e as novas perspectivas sobre a realidade profissional exigem das empreendedoras uma postura mais flexível em todas as áreas do negócio.

Esta evolução do modo de fazer negócio, inclui o campo dos recursos humanos, em que actualmente os profissionais têm maior conhecimento do seu potencial e dos seus objectivos na vida profissional e pessoal. Por isso, as empresas passaram a adoptar a gestão de talentos, um novo conceito dentro da área dos recursos humanos.

A questão que surge para as empreendedoras que estão no início do negócio em relação a este tema é: como atrair talentos sem recursos financeiros? Quando não encontram a resposta para essa questão, as empreendedoras iniciam um ciclo vicioso de contratação de profissionais com baixo performance, queda no rendimento do negócio, nova contratação e a história se repete sucessivamente.

Antes de apresentar algumas propostas para aplicar a gestão de talentos no pequeno negócio, é importante falar um pouco sobre a gestão de talentos e seus benefícios.

Embora a definição de gestão de talentos é vista de diferentes formas entre as organizações, dependendo da sua política e cultura organizacional, pode-se entender que:

Gestão de talentos é uma estratégia corporativa, com objectivo de optimizar o trabalho em equipa, de forma que todos os profissionais alcancem o máximo do seu potencial. Assim, uma empresa que adopta cultura de gestão de talentos, define um conjunto de acções que oferecem ao colaborador um desenvolvimento de carreira, comprometimento com a empresa e motivação profissional.

Os benefícios que a gestão de talentos traz para o negócio são: maior produtividade, menor taxa de abandono, maior compromisso e satisfação profissional.

Partindo do princípio de que cada ser humano é único, com interesses profissionais diferenciados, é possível se conectar com pessoas que tem outras motivações para trabalhar, que não seja a motivação financeira. Parece irreal, pois todos precisamos de dinheiro para viver, mas acredita que há um grupo de pessoas que dão prioridade a outros aspectos como autonomia (necessidade de criar a sua própria vida), domínio (vontade de fazer cada vez melhor) e propósito (fazer algo que se alinha aos seus valores).

Voltado ao cenário actual, em que as empreendedoras não tem capital suficiente para investir no seu talento ou atrair profissionais de alto performance para o seu negócio, existe algumas alternativas para ultrapassar essa barreira.

  1. Clareza na comunicação de valores e visão do negócio

Uma característica comum de grandes líderes mundiais é a clareza na comunicação das suas causas. Martin Luther King partilhou o seu sonho para América e teve milhares de seguidores. Nelson Mandela é considerado o símbolo da paz. Steve Jobs construiu um legado de seguidores da marca Apple. O que aprendemos com eles é que as pessoas buscam líderes com os mesmos valores e causas.

Numa altura de imensa partilha de informação, as pessoas exigem mais dos negócios, não importa muito o que cada empresa faz, mas sim como faz, por que faz e que valor agrega para o mercado. E quando os valores e visão do negócio estão alinhados com as expectativas das pessoas, elas são capazes de aceitar trabalhar com uma oferta salarial baixa.

  1. Plano de desenvolvimento de carreira

É verdade que o negócio ainda é pequeno, mas isso não implica colocar de lado um plano de crescimento do negócio, que inclui o desenvolvimento de carreira dos colaboradores. Se hoje tem a sua boutique apenas precisa de uma balconista, ela pode iniciar o trabalho nestas condições, mas com possibilidade de participar em formações ajustadas a um plano de promoção.

  1. Relacionamento de benefícios recíprocos (ganha-ganha)

Quando as pessoas começam um trabalho, esperam ganhar dinheiro. Mas quando o dinheiro é pouco, alguns colaboradores tomam iniciativas inadequadas para ganhar mais dinheiro no local de trabalho. Nesses casos a opção que se encontra é o despedimento e inicia o ciclo de mudança constante de colaboradores.

Mas como falei antes, existe um grupo de profissionais que podem actuar com bom desempenho no trabalho, mesmo se recebem pouco. Nestes casos, é possível identificar outros benefícios que os profissionais podem ter no local de trabalho, tais como: flexibilidade no horário, autonomia para criar novos produtos e serviços, oportunidade de participar em eventos ou viagens de trabalho, entre outros.

Quando quiser aplicar a gestão de talentos no seu pequeno negócio, primeiro cultive o seu talento. Seja aquele profissional de alto desempenho que gostaria de contratar para o seu negócio. Assim será mais fácil atrair talentos, encontrar formas de investimentos de baixo custo no talento e alternativas para reter profissionais talentosos na sua equipa. Vamos empreender?

Juntas.co.mz : uma tecnologia para o bem made in Mozambique

Na música Most people are good (A maioria das pessoas é boa) de Luke Bryan, sentimos como realmente o mundo é cercado de pessoas bondosas. Tal como o Luke, eu acredito que o mundo não é tão ruim quanto parece e que a maioria das pessoas é boa.

Eu testemunho a bondade humana diariamente, quando jovens dão lugares aos mais velhos ou grávidas no autocarro. Eu ouvi que um jovem perdeu o telemóvel e a pessoa que encontrou atendeu a chamada e entregou o telemóvel a que pertencia, sem pedir nada em troca. E é assim mesmo, a bondade está a nossa volta, com ou sem um rosto, cada um faz a sua boa acção.

Imagem: Divulgação Facebook Mães Amigas

No entanto, tem algumas pessoas que enfrentam violência baseada no género e que por diferentes motivos não conseguem pedir ou receber apoio. Quem é vítima de violência, seja ela física, psicológica, económica ou sexual, têm dificuldade de falar sobre o assunto com a família, os amigos e profissionais. A boa notícia para as vítimas e as pessoas que pretendem ajudar, é que foi lançada um aplicativo Web, juntas.co.mz , um espaço seguro para partilhar os problemas e receber ajuda. A plataforma está em teste desde 7 de Maio deste ano e foi lançado no grupo de Facebook Mães Amigas pela Alexandra Marques Abdula.

A tecnologia tem sido alvo de ataques nas relações humanos, muitos defendem que as pessoas se tornaram anti-sociais e menos humanas. E aqui vemos algo oposto, uma possibilidade de utilizarmos a tecnologia para o bem. Por isso, é um orgulho para nós mulheres moçambicanas, conhecer a iniciativa juntas.co.mz , criada por mulheres da nossa terra.

E qual é o nosso papel nessa história? Nós vamos partilhar o aplicativo juntas.co.mz , vamos testar, dar o nosso feedback e contribuir por um Moçambique com homens e mulheres que praticam a ajuda mútua.

Vamos empreender?

 

 

post 11 imag

Como escolher o nome para o seu negócio

É comum encontrar jovens que dizem “ quero começar um negócio, mas não sei como”. Talvez não exista uma resposta correcta para essa questão, mas eu arrisco a dizer “comece por escolher o nome”. Tanto que o primeiro para formalizar uma empresa em Moçambique, é a reserva do nome.

Já passei por uma experiência de troca de nome da empresa, levamos tempo a escolher o novo nome e tivemos custos para mudar o nome e logótipo. Depois desse episódio, passei a dedicar mais tempo na escolha de nomes de negócio, produtos ou serviços. Então, preparei algumas dicas para que você tenha a oportunidade de escolher o nome do seu negócio com mais segurança.

  1. Seja original

Toda mulher se considera única e, acredita, o seu negócio também é único. Existem milhões de empresas no mundo e mesmo assim é possível criar um nome fora do comum. Se o seu nome é diferente, esta é a primeira chance para criar um nome original para o seu negócio.

Outras alternativas para encontrar originalidade em escolher nomes são: nomes com origem em línguas locais, mistura de nomes ou personagens de livros e filmes pouco conhecidos.

  1. Faça pesquisas

A pesquisa é o primeiro teste de originalidade do nome. Você pode pensar que criou um nome original e ficar desiludida quando pesquisar no Google e encontrar vários negócios com o mesmo nome. Pesquise os nomes de empresas concorrentes ou do ramo de actuação, ajuda a encontrar um padrão que faz sucesso entre o público-alvo. E se pensa em expandir o seu negócio a nível internacional, nada melhor do que confirmar se o nome não tem significado pejorativo em outros idiomas.

  1. Atenção a pronúncia

É possível conciliar originalidade e simplicidade no nome do negócio. Procure escolher um nome de fácil comunicação entre o seu público-alvo. Quando tiver a sua lista de nomes, comece a falar em voz alta cada um dos nomes, se for díficil para si, imagina para o público. Se você é nova no mercado, não se arrisque a escolher um nome que as pessoas tem dificuldade pronunciar e soletrar.

  1. Pense a longo prazo

Quem começa um negócio, acredita que o mesmo vai dar certo e crescer. Então, por que pensar no nome que limita o seu negócio a nível de território ou ramo de actuação? Os negócios crescem e mudam, por isso preste atenção a esse ponto quando escolher o nome.

  1. Alinhe o nome a visão do negócio

Todo o negócio tem um objectivo, você precisa conhecer a visão da sua empresa e escolher um nome que indique isso. Seja ajudar pessoas a encontrar o amor da sua vida ou facilitar a experiência de compras online, cada visão pode ser traduzida em nome.

O nome do negócio pode não estar no topo de prioridades para muitos empreendedores, mas ele revela muito sobre o perfil do negócio e a personalidade dos seus fundadores. Esse processo criativo deve ser levado muito a sério, seja anotando a lista de nomes ou discutir as opções com sócios, colaboradores ou especialistas da área.

Partilhe a sua história sobre a escolhe do nome do se negócio.

Como preencher o canvas parte VIII: Parceiros-Chave

A fase inicial de um negócio tem muitos desafios. Nem sempre há capacidade financeira suficiente para adquirir todos os recursos necessários para o negócio funcionar. Dependendo do tipo de negócio, equipamentos de qualidade, mão-de-obra qualificada, meios circulantes, são considerados investimentos de luxo para empreendedoras iniciantes. E daí, como ultrapassar essa barreira?

No modelo de negócios canvas, a ferramenta de estruturação de negócios que venho abordando aqui no blog, tem um bloco específico que ajuda-nos a identificar organizações, empresas e outros parceiros de apoio que facilitam o funcionamento do negócio. O oitavo bloco do canvas é parceiros-chaves.

Se está a acompanhar esta série de textos sobre o modelo de negócios Canvas, pode rever os blocos anteriores no link abaixo.

  1. Proposta de Valor
  2. Segmento de Clientes
  3. Canais
  4. Relações com Clientes
  5. Fontes de Receitas
  6. Recursos-chave
  7. Actividades-chave

A rede de parceiros de negócios não serve apenas para quem tem pouco capital inicial. É verdade que essa estratégia reduz custos ao adquirir recursos ou actividades específica de graça ou com descontos, mas ela também é responsável pela optimização dos processos do funcionamento do negócio e redução do risco de incerteza.

Quando nos dedicamos ao campo de parceiros-chave no modelo de negócios canvas, incluímos empresas ou particulares que actuam tanto na produção, como entrega e distribuição da proposta de valor. Se cada empreendedora dedica mais tempo a principal actividade do negócio, pode confiar outras actividades aos parceiros-chave e consequentemente terá melhores resultados no negócio.

Existe algumas perguntas importantes para preencher o bloco de parceiros-chaves. Tente responder as seguintes questões:

– Quem são os nossos parceiros-chave?

– Quem são os nossos fornecedores-chave?

– Que recurso-chave a empresa consegue obter através dos parceiros-chave?

– Que actividades-chave os parceiros-chave exercem?

 

Estamos a caminho do primeiro aniversário do blog e este texto reflecte muito a essência deste meu projecto. Quantas mulheres desejam começar um negócio, mas não o fazem porque sentem que precisam de uma equipa? A alternativa para as empreendedoras à solo é essa, buscar parcerias para tornar o seu negócio realidade ou expandir um negócio existente.

Quem caminha sozinha pode até chegar mais rápido, mas quem caminha acompanhado , com certeza vai mais longe.

Clarisse Lispector

Se precisa de recomendações de parceiros e fornecedores para o seu negócio, envie um e-mail para ola@empreendedorasolo.com e vai se surpreender com as opções locais e internacionais que temos para si. Vamos empreender?