Como preencher o Canvas parte VI: Recursos-Chave

Abril já está no fim, mas os momentos bons e menos bons ficam na memória. Para mim, o mês de Abril teve muitas mudanças, novo desafio profissional, novo país e principalmente oportunidades de reviver a minha trajectória empreendedora.

Bem no início do mês, reencontrei um cliente que tive no primeiro negócio a quase dez anos atrás. Na altura estavamos envolvidos na produção de uma revista, viajei para Funhalouro e mais 3 distritos de Inhambane, conheci histórias de luta de homens e mulheres que garantem comida saudável nas nossas mesas. Mesmo com o fim do primeiro negócios, esses momentos não se apagam da memória. E quando retornam, vem acompanhados de saudade, culpa, questionamentos.

Por isso, venho com mais uma publicação sobre o modelo de negócios Canvas. A visualização e planeamento do negócio na fase inicial, pode reduzir esse conjunto de sentimentos que temos quando algo corre mal ou mesmo o negócio chega ao fim. E mais, como o modelo pode ser ajustado ao longo do processo de criação do negócio, há mais chances de sucesso.

O sexto bloco a ser preenchido no Canvas é o Recursos- Chaves. Esta parte foca os recursos necessários para tornar a proposta de valor, os canais de entrega, o relacionamento com clientes e as receitas completamente funcionais.

É comum encontrar empreendedores que ainda não deram o primeiro passo para o negócio por falta de dinheiro. Quando nos dedicamos aos recursos-chave do negócio, percebemos que os recursos vai além do dinheiro disponível.  Recursos-chave para o negócio inclui: principais activos (bens,valores ou direitos que podem ser convertidos em dinheiro), recursos intelectuais (bens inantigíveis como: música, livro, marca registrada), recursos físicos (cadeiras, mesas,quadros) e recursos humanos (equipa com formação e experiência relevante).

Este é um erro popular, desde o momento que queremos iniciar o negócios, só pensamos no dinheiro, dinheiro e dinheiro. Quem sabe se nos dedicarmos mais tempo a investigar os restantes recursos que temos ou que podemos aceder com facilidade junto da família, amigos e até do governo, encontramos a resposta para preencher o bloco recursos chaves.

Nem sempre é fácil pensar nos recursos que temos para o negócio. Quase dez anos depois, fico a pensar nos recursos que tive disponível para continuar o negócio, mas não tinha conhecimento e maturidade suficiente para ver isso. Mas como estamos aqui para aprender e partilhar o que sabemos, tenho certeza que você fará um trabalho melhor. Vamos empreender?

Como preencher o Canvas parte V- Fontes de Receitas

Hoje vamos continuar a explorar o Canvas, um dos modelos de estruturação de negócios mais populares actualmente. Já passam quase três anos que aprendi e utilizo a ferramenta para visualizer as minhas ideias de negócios e cada vez que pratico, entendo melhor e por isso comecei a secção canvas aqui no Blog.

Hoje vamos tratar do 5° bloco: fontes de receitas. Esta é uma das principais partes do modelo canvas, pois um dos indicadores de sustentabilidade do negócio é quantidade de dinheiro que entra na caixa da empreendedor.

No princípio do negócio, é preciso ter descrever as formas que a empresa vai utilizar para gerar receitas. É mais fácil atribuir tipos de receitas a cada seguimento do Mercado. Podemos ver o exemplo da empresas de telefonia móvel, elas definiram pagamento pré pago para particulares e facturação mensal para empresas.

Algumas perguntas a considerer no bloco de fontes de receitas são:

  • Por que valor o segmento de clientes está disposto a pagar?
  • Por que eles pagam actualmente?
  • Qual é a contribuição de cada fonte de receita para a receita total?

É importante visualizar as fontes de receitas com foco no segmento de clientes, mas também incluir o seu comportamento perante a concorrência. Imagine uma doceira recente no mercado, que definiu oferecer bolos de aniversários para clientes intolerantes a lactose. Ela sabe que os clientes estão dispostos a pagar por um bolo adequado a sua saúde, mas o preço que for estipulado deve corresponder com a concorrência. Se for mais caro, tem que ser capaz de transmitir aos clientes o valor ou diferencial do produto.

Dependendo de cada negócio, existem diferentes formas de gerar receitas. As mais conhecidas são:

  • Venda directa;
  • Taxa por utilização: dinheiro ganho por utilização de um serviço específico. Por ex: Correios;
  • Taxas de subscrição: fonte de receita proveniente de acesso contínuo a um serviço. Por ex: DSTV;
  • Licenciamento: receita proveniente da cobrança por utilização de uma propriedade intelectual. Por ex: Transmissão de novelas da Globo por outros canais como STV
  • Comissão: receita proveniente de intermediação de serviços entre duas partes interessadas. Ex: correctores de seguros.
  • Publicidade: receita proviniente da cobrança de taxas para divulgar o produto/serviço. Por ex: TVM, STV, etc

O canvas é modelo de negócios fléxivel, permite que o empreendedor faça o esboço de como vai gerar receitas, e que mais tarde pode ser ajustado de acordo com os resultados dos testes.

Se nunca tinha ouvido falar do canvas, esta secção do blog é dedicada a partilha de noções gerais sobre o assunto. Se achou achou interessante, pesquise mais sobre o assunto, também pode participar nas capacitações que inclui o tema. Um dos cursos de empreendedorismo que fiz através do programa YALI adoptam o modelo canvas. Recentemente vi que a formula milionária contém o canvas nos temas do curso. Não deixe de comentar a sua experiência com este modelo de negócios.

Vamos empreender?

featured pic

Meu desafio 1.6: Eu suporto … Mimos da Geneth

Dr. Martin L. King uma vez disse:

O que me preocupa não é o barulho dos maus, mas sim o silêncio dos bons.

Isso também me preocupa, pois estamos cercadas de mulheres talentosas, que pouco divulgam o seu trabalho seja no bairro ou nas redes sociais. Como fazer para que a sua amiga, prima e principalmente você perca toda a sua timidez e diga com facilidade: Precisa de X, eu sei fazer.

Ontem eu surpreendida com o talento da Geneth, uma mãe prendada que faz laços, convites, brindes e mimos feito com muita arte e amor. E o seu projecto não podia ter um nome melhor … Mimos da Geneth.

Arquivo Pessoal: Mimos da Geneth

Cada uma de nós, deve cultivar um ambiente confortável para partilharmos nossos talentos e desafios como empreendedoras. Você pode ter a solução do seu problema mesmo no teu nariz, mas as suas palavras afugentam qualquer tentativa de ajuda. Já parou para pensar nisso? Avalie a sua postura com as mulheres ao seu redor e permita que se fale abertamente de soluções, talento e empreendedorismo.

A próxima vez que estiver com uma mulher conhecida pergunte:

Qual é o teu talento secreto?

E não se esqueça de partilhar a resposta com a sua rede de contactos.

Um facto interessante, no meu quarto dia do desafio Boa Coisa, a tarefa era promover o negócio de algum conhecido, por isso a descoberta do lindo trabalho da Geneth veio mesmo em boa altura. Já tenho o meu desafio cumprido.

Para encomendas, contacte Mimos da Geneth através do 822270030.

Juntas somos mais fortes. Vamos celebrar o empreendedorismo feminino em Moçambique.

Emprego ou negócio? O dilema actual das empreendedoras

Não faz muito tempo que estava numa sala cheia de mulheres, onde facilmente fluiam os desafios do empreendedorismo feminino. Cá entre nós, o salário certinho no final do mês é bom, há prestígio e confiança em mulheres empregadas, desde à vendedora de tomate na esquina de casa ao gestor de clientes do banco. Nunca sentiu o mundo aos seus pés por exibir um cartão de identificação com o logótipo de uma empresa alheia?

Filosofias a parte, imagine que estou mesmo em frente aos teus olhos e responde:

Estás pronta para deixar o teu emprego e lutar pelo teu sonho do negócio próprio?

Se gagajares, talvez ainda não estejas pronta.

Mas, esquece essa pergunta (por enquanto), eu estou aqui para simplificar a tua vida e dê uma vista de olhos nas minhas dicas sobre o tema emprego vs negócio.

  1. NUNCA, NUNCAS, MAIS NUNCA MESMO deixe o teu emprego para começar um negócio. O começar está sublinhado de próposito, nesta fase do negócio vai testar a tua ideia, captar os primeiros clientes e pode ter pouca receita e até mesmo não ter nenhuma receita. Mesmo que tenha reserva financeira para os primeiros meses do negócio, dê um espaço para viver o sonho como possibilidade de parar se não tiver a satisfação que esperava antes de iniciar o negócio.
  2. Dedique parte dos fins de semana, férias ou licenças programadas para criar os produtos e vender online nos dias em que está no trabalho.
  3. Tenha muita atenção com o regulamento interno da empresa onde trabalha, algumas empresas promovem empreendedorismo entre os colaboradores, outras não e até penalizam pequenos negócios no local de trabalho. A atenção também inclui o relacionamento com os colegas de trabalho, que tanto podem ser os seus primeiros clientes como os promotores da queda do seu negócio.
  4. Os números falam, faça o registro de todas as despesas e receitas do seu negócio. E quanto ao investimento, uma das vantagens de ter um emprego é que pode solicitar um emprestimo pessoal para iniciar o negócio.
  5. Por último, e não menos importante, o NUNCA que mencionei no primeiro ponto é apenas para o início do negócio, a vida dupla empregada empreendedora é desgastante e tem dias contados quando se pretende passar o negócio para o próximo nível : CRESCIMENTO.

Na minha memória, mulheres que tem emprego e tem negócio próprio , os seus negócios não escalam e estão a saltar de um negócio para outro. Ontem eram revendedoras Avon, hoje vendem cabelos e vamos aguardar para o seu futuro negócio. Eu estou em busca de novas  histórias, mulheres jovens que tiveram um emprego, depois embarcaram no empreendedorismo e encontraram o momento certo para escolher um só caminho. Pode partilhar comigo?

 

Semana Global de Empreendedorismo: Eventos a não perder

Olá empreendedoras,

a semana começa com energias positivas, não é mais uma semana de luta para realizar os nossos sonhos, é a Semana Global de Empreendedorismo. Como celebrar? Partilhando a sua experiência com outras mulheres (e não só), participando de eventos dedicados ao empreendedorismo.

Eu tenho duas sugestões de eventos para as empreendedoras da nossa rede.

  1. VI Conferência Nacional de Empreendedorismo

    Imagem: Facebook ANJE Moçambique

  2. WED in Park

Imagem: Facebook Idealab

Juntas somos mais fortes. Vamos?