6 maneiras de reciclar com a Daisy Social?

Recordo-me até hoje da voz serena da Cristina Rocha quando apresentava o projecto Daisy Social no Awit Mozambique 2017. Eu fico encantada com artigos feitos a mão e muito mais fascinada quando o processo de produção inclui materiais reciclado.

A Daisy Social apresenta-se como:

Um  negócio que visa emponderar as mulheres com habilidades para produzir sabonetes artesanais de baixo custo através da utilização de ingridientes e materiais recicados. Para alem de criar trabalho, ajudam no meio ambiente com a  reciclagem.

Tive oportunidade de conversar com a fundadora da Daisy Social em diferentes ocasiões, o ponto de encontro mais frequente era na Mozarte, onde foi possível presenciar as formações e sentir de perto o aroma dos sabonetes. A Cristina Rocha partihou  comigo que o óleo de cozinha era um dos ingridientes de fábrico dos sabonetes e logo encontrei uma forma de contribuir para a iniciativa. Desde então tenho aguardado com entusiasmo que o pote de óleo usado fique completo para entregar a Daisy Social.

Você já sabia que o sabonete era produzido com óleo? Se não, agora já sabe e se quer contribuir para o empoderamento das mulheres moçambicanas, faça doação de ingrientes e materiais para a Daisy Social.

Procurei mais informações de como reciclar com a Daisy Social e tenho uma listinha. Vamos anotar?

  1. Óleo de cozinha usado (excepto óleo usado para fritar peixe)
  2. Pó de café usado seco
  3. Pacotes de leite e de sumo
  4. Caixinhas de plásticos
  5. Rolos de cartão do papel higienico
  6. Caixas de cartao duro

Os artigos da lista são utilizados na produção inicial dos sabonetes, como também na produção de moldes. Se visitar o website e redes sociais da Daisy Social tem diferentes desenhos de sabonetes artesanais.

Para mais informações sobre a Daisy Social:

Web: https://daisyhandmadesoap.wordpress.com/

E-mail: daisyhandmadesoap@gmail.com

Facebook: https://www.facebook.com/DaisyHandmadeSoap/

Por que eu escrevo_ (2)

5 motivos para começar o seu negócio

Desde que começou a crise em Moçambique, parece que só se fala em empreendedorismo, não é verdade? Sim, é o que parece, todos agora querem ser empreendedores. No entanto, o movimento empreendedor começou muito antes da crise, a única diferença é que agora há mais espaço nos media sobre o assunto.

Particularmente, tenho uma lista enorme motivos pelos quais optei por começar um negócio. Como escrevi no meu ebook A primeira Startup Sem medo de Empreender

Não existe motivo certo, existe o seu motivo.

O objectivo do texto é compilar as motivações mais frequentes que tenho observado.

  1. ____________

O primeiro motivo está em branco porque ainda não tenho super poderes para ler a sua mente. Escutar a opinião dos outros é bom, mas não faça isso sem ter uma opinião própria. Eu respeito isso, por isso em primeiro, está o seu motivo.

 

 

  1. Planear quanto dinheiro vai ganhar

Ganhar muito dinheiro é uma das maiores promessas dos GURU de empreendedorismo. Uma promessa atraente, não é? A boa notícia é que é verdade.

Enquanto no emprego formal o rendimento mensal é fixo ou pouco varíavel, os empreendedores podem planificar o rendimento mesal e lucros do negócio.

  1. Aprender novas habilidades

O seu CV pode ser extenso, com cursos, diplomas, experiências e prémios, mas no final o empregador já tem uma lista de tarefas para si. E acredita, é desmotivador ter um emprego que não exige as habilidades ou competências que adquirimos ao longo dos anos de estudo.

Ter o seu próprio negócio é o espaço ideal para dar o melhor de si como profissional, pode testar suas habilidades, questionar suas competências sem risco de perder o emprego. Quem ganha é o cliente, que pode ter cada vez melhores experiências com seus produtos e serviços.

 

  1. Ajudar pessoas

Quantas vezes já vimos alguém necessitado e pensamos ‘ Se eu tivesse dinheiro, ajudava’. E essa vontade de ajudar fica por aí, no infinito “se”. Que tal começar um negócio para ajudar as pessoas e acabar com a pobreza no país, e até mesmo no mundo?

Chega uma altura que temos que parar de pedir o dinheiro dos outros (pais, familiares, marido, filhos, Governo, doadores e mais) para o bem estar dos necessitados. Começar um negócio, permite ajudar pessoas de diferentes formas: criação de emprego, acção de responsabilidade social ou doação.

  1. Oportunidade de Validar a sua ideia

Os empreendedores guardam as suas ideias a sete chaves e um dos seus maiores medos é de sofrer rejeição dos clientes.  Muitos não colocam a ideia em prática porque não  sabem se vai dar certo ou não.

Por isso só quem começa um negócio tem oportunidade de testar com clientes se a sua ideia é a solução que eles estavam a procura. Se não for, pode pensar em novas soluções.

Existe mais de 99 motivos para começar um negócio hoje, próximo mês ou daqui a dois anos. Encontre o seu motivo e não desculpas para adiar a sua realização profissional.