Como aplicar a gestão de talentos no início do negócio

O mundo corporativo está cada vez mais dinâmico. A inovação tecnológica e as novas perspectivas sobre a realidade profissional exigem das empreendedoras uma postura mais flexível em todas as áreas do negócio.

Esta evolução do modo de fazer negócio, inclui o campo dos recursos humanos, em que actualmente os profissionais têm maior conhecimento do seu potencial e dos seus objectivos na vida profissional e pessoal. Por isso, as empresas passaram a adoptar a gestão de talentos, um novo conceito dentro da área dos recursos humanos.

A questão que surge para as empreendedoras que estão no início do negócio em relação a este tema é: como atrair talentos sem recursos financeiros? Quando não encontram a resposta para essa questão, as empreendedoras iniciam um ciclo vicioso de contratação de profissionais com baixo performance, queda no rendimento do negócio, nova contratação e a história se repete sucessivamente.

Antes de apresentar algumas propostas para aplicar a gestão de talentos no pequeno negócio, é importante falar um pouco sobre a gestão de talentos e seus benefícios.

Embora a definição de gestão de talentos é vista de diferentes formas entre as organizações, dependendo da sua política e cultura organizacional, pode-se entender que:

Gestão de talentos é uma estratégia corporativa, com objectivo de optimizar o trabalho em equipa, de forma que todos os profissionais alcancem o máximo do seu potencial. Assim, uma empresa que adopta cultura de gestão de talentos, define um conjunto de acções que oferecem ao colaborador um desenvolvimento de carreira, comprometimento com a empresa e motivação profissional.

Os benefícios que a gestão de talentos traz para o negócio são: maior produtividade, menor taxa de abandono, maior compromisso e satisfação profissional.

Partindo do princípio de que cada ser humano é único, com interesses profissionais diferenciados, é possível se conectar com pessoas que tem outras motivações para trabalhar, que não seja a motivação financeira. Parece irreal, pois todos precisamos de dinheiro para viver, mas acredita que há um grupo de pessoas que dão prioridade a outros aspectos como autonomia (necessidade de criar a sua própria vida), domínio (vontade de fazer cada vez melhor) e propósito (fazer algo que se alinha aos seus valores).

Voltado ao cenário actual, em que as empreendedoras não tem capital suficiente para investir no seu talento ou atrair profissionais de alto performance para o seu negócio, existe algumas alternativas para ultrapassar essa barreira.

  1. Clareza na comunicação de valores e visão do negócio

Uma característica comum de grandes líderes mundiais é a clareza na comunicação das suas causas. Martin Luther King partilhou o seu sonho para América e teve milhares de seguidores. Nelson Mandela é considerado o símbolo da paz. Steve Jobs construiu um legado de seguidores da marca Apple. O que aprendemos com eles é que as pessoas buscam líderes com os mesmos valores e causas.

Numa altura de imensa partilha de informação, as pessoas exigem mais dos negócios, não importa muito o que cada empresa faz, mas sim como faz, por que faz e que valor agrega para o mercado. E quando os valores e visão do negócio estão alinhados com as expectativas das pessoas, elas são capazes de aceitar trabalhar com uma oferta salarial baixa.

  1. Plano de desenvolvimento de carreira

É verdade que o negócio ainda é pequeno, mas isso não implica colocar de lado um plano de crescimento do negócio, que inclui o desenvolvimento de carreira dos colaboradores. Se hoje tem a sua boutique apenas precisa de uma balconista, ela pode iniciar o trabalho nestas condições, mas com possibilidade de participar em formações ajustadas a um plano de promoção.

  1. Relacionamento de benefícios recíprocos (ganha-ganha)

Quando as pessoas começam um trabalho, esperam ganhar dinheiro. Mas quando o dinheiro é pouco, alguns colaboradores tomam iniciativas inadequadas para ganhar mais dinheiro no local de trabalho. Nesses casos a opção que se encontra é o despedimento e inicia o ciclo de mudança constante de colaboradores.

Mas como falei antes, existe um grupo de profissionais que podem actuar com bom desempenho no trabalho, mesmo se recebem pouco. Nestes casos, é possível identificar outros benefícios que os profissionais podem ter no local de trabalho, tais como: flexibilidade no horário, autonomia para criar novos produtos e serviços, oportunidade de participar em eventos ou viagens de trabalho, entre outros.

Quando quiser aplicar a gestão de talentos no seu pequeno negócio, primeiro cultive o seu talento. Seja aquele profissional de alto desempenho que gostaria de contratar para o seu negócio. Assim será mais fácil atrair talentos, encontrar formas de investimentos de baixo custo no talento e alternativas para reter profissionais talentosos na sua equipa. Vamos empreender?

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *