Emprego ou negócio? O dilema actual das empreendedoras

Não faz muito tempo que estava numa sala cheia de mulheres, onde facilmente fluiam os desafios do empreendedorismo feminino. Cá entre nós, o salário certinho no final do mês é bom, há prestígio e confiança em mulheres empregadas, desde à vendedora de tomate na esquina de casa ao gestor de clientes do banco. Nunca sentiu o mundo aos seus pés por exibir um cartão de identificação com o logótipo de uma empresa alheia?

Filosofias a parte, imagine que estou mesmo em frente aos teus olhos e responde:

Estás pronta para deixar o teu emprego e lutar pelo teu sonho do negócio próprio?

Se gagajares, talvez ainda não estejas pronta.

Mas, esquece essa pergunta (por enquanto), eu estou aqui para simplificar a tua vida e dê uma vista de olhos nas minhas dicas sobre o tema emprego vs negócio.

  1. NUNCA, NUNCAS, MAIS NUNCA MESMO deixe o teu emprego para começar um negócio. O começar está sublinhado de próposito, nesta fase do negócio vai testar a tua ideia, captar os primeiros clientes e pode ter pouca receita e até mesmo não ter nenhuma receita. Mesmo que tenha reserva financeira para os primeiros meses do negócio, dê um espaço para viver o sonho como possibilidade de parar se não tiver a satisfação que esperava antes de iniciar o negócio.
  2. Dedique parte dos fins de semana, férias ou licenças programadas para criar os produtos e vender online nos dias em que está no trabalho.
  3. Tenha muita atenção com o regulamento interno da empresa onde trabalha, algumas empresas promovem empreendedorismo entre os colaboradores, outras não e até penalizam pequenos negócios no local de trabalho. A atenção também inclui o relacionamento com os colegas de trabalho, que tanto podem ser os seus primeiros clientes como os promotores da queda do seu negócio.
  4. Os números falam, faça o registro de todas as despesas e receitas do seu negócio. E quanto ao investimento, uma das vantagens de ter um emprego é que pode solicitar um emprestimo pessoal para iniciar o negócio.
  5. Por último, e não menos importante, o NUNCA que mencionei no primeiro ponto é apenas para o início do negócio, a vida dupla empregada empreendedora é desgastante e tem dias contados quando se pretende passar o negócio para o próximo nível : CRESCIMENTO.

Na minha memória, mulheres que tem emprego e tem negócio próprio , os seus negócios não escalam e estão a saltar de um negócio para outro. Ontem eram revendedoras Avon, hoje vendem cabelos e vamos aguardar para o seu futuro negócio. Eu estou em busca de novas  histórias, mulheres jovens que tiveram um emprego, depois embarcaram no empreendedorismo e encontraram o momento certo para escolher um só caminho. Pode partilhar comigo?

 

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *