featured pic (5)

Como reciclar com a Xabindza?

Desde cedo aprendi a valorizar o prato de comida que tínhamos na mesa. Recordo-me como se fosse hoje cada vez que fazia birra para não terminar a comida e a minha mãe me recordava (com simpatia) que havia crianças passando fome, e o prato ficava limpo. Nos dias hoje, parece que a imagem de crianças famintas está esquecida e é cada vez maior a quantidade enorme de comida desperdiçada nas casas e restaurantes. A comida desperdiçada rapidamente se transforma em lixo, tal como os pedaços de hortícolas ou carne que não foram utilizados na sua confecção.

Para a nossa alegria, a Júbia Domingos, Sócia Gerente da Xabindza, concedeu uma mini entrevista para o Blog, onde apresenta-nos uma solução inovadora que vai minimizar o problema do lixo nos centros urbanos. Acompanhe a entrevista.

………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………….

Pergunta: Fale um pouco sobre a Xabindza

Resposta: Xabindza é a primeira start-up Moçambicana de biotecnologia para o processamento de resíduos orgánicos em sumplemento animal com alto valor proteíco para ração animal e fertilizante orgánico para produção vegetal através larvas de insecto da mosca de soldado negro. Estes resíduos orgánicos podem ser de origem animal ou vegetal, dentre quais o estrume de frango e restos de hortícolas e frutas que são perdas ao longo da cadeia de valor alimentar.

 

Pergunta: Qual é o actual cenário da reutilização dos resídios solídos em Maputo?

Resposta: A gestão dos resíduos orgânicos constitui um dos grandes desafios em países de baixa e média renda, e Maputo sendo a capital e a maioria cidade de Moçambique não é excepção, cerca de 25 500 toneladas de  resíduos são depositados na lixeira de Hulene.

Actualmente, este resíduos são depositados em aterros abertos, queimados, enterrados e uma infíma parte que é transformado em composto para fertilização dos solos. O motivo do actual cenário, prende-se ao facto de muitas pessoas não saberem que este pode ser transformado em recurso valiosa para agricultura, assim sendo, não fazem uma organização selectiva do mesmo, excepto o sector privado, em que existe uma empresa que fornece o serviço de gestão integrada de resíduos.

Neste contexto a Xabindza está comprometida a oferecer uma solução inovadora e sustentável para gestão de resíduos orgánicos na área de produção animal e nas médias-grandes (agro-processamento) a partir da sua transformação em produtos com valor comercial.

 

Pergunta: Como as mulheres podem ajudar a tornar o vosso trabalho possível?

Resposta: No nosso país as mulheres desempenham múltiplas funções, elas são mães, governantas das casas e por outro lado a maior parte está envolvida no comércio informal, particularmente na comercialização de hortícolas e frutas, produtos altamente perecíveis, constituindo a maior fracção de lixo encontrados em mercados urbanos.

Assim sendo, elas são um dos elementos fundamentais, pois ao adoptarem a organização selectiva dos resíduos orgánicos elas estarão contribuindo para a gestão sustentável destes e ao mesmo tempo contribuindo para maior disponibilização de insumos de produção mais acessíves para os produtos (frangos) que elas comercializam e ao mesmo tempo são usados na preparação das refeições familiares.

………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………….

No final, a minha convicção de que as mulheres têm o papel chave para o desenvolvimento do país tornou-se mais forte. Do que estamos a espera?

Para mais informações sobre a Xambidza:

Telemóvel: 844139748

E-mail: jubya.domingos@gmail.com