1º Quinzena de Outubro| Links interessantes

Olha só quem está a cumprir uma promessa (rss). Este é o primeiro post da nova categoria do blog dedicada a partilha de links interessantes. Desde vídeos do youtube a textos da blogosfera nacional e internacional. Como já diz o velho ditado, gostos não se discutem. É só conferir as sugestões que se seguem e curtir.

  1. Filme: Burlesque

Burlesque (2010) é drama estrelado por Cher e Christina Aguilera que conta a história de uma jovem provinciana com uma voz poderosa que muda-se para a grande cidade Los Angeles em busca do seu sonho.

A minha cena preferida foi quando Ali pede a Tess uma oportunidade para fazer parte do grupo de dançarinas do Clube e diz algo parecido com o seguinte: “Diz-me o que queres que eu faça e eu mostro o que sou capaz.”

A resposta de Tess foi surpreendente e acho que todas devemos memorizar: “ Não precisas de pedir a mim ou a ninguém. Mostra que o teu lugar é aqui e que ninguém o pode tirar de ti.”

Esta é a mais pura verdade, nós não precisamos de permissão para mostrar o quão somos boas no que fazemos. Tenha confiança no valor do seu negócio para o mercado e mostre que você nasceu para empreender.

2. Blogosfera: My tips for 11 year old boys and girls! Em Good Living Theory

Como sabem, eu amo partilha de experiências  empreendedoras. Por isso sou frequentadora da Incubadora do Standard Bank em Maputo, seja para participar num evento ou utilizar o espaço para network. Numa manhã de Setembro, conheci a Ânia e por coincidência ela também tem um blog. Fiquei super feliz de conhecer uma blogueira moçambicana, trocamos os nossos blogs e eu comecei a acompanhar a Teoria da Boa Vida.

Eu amei ler “My tips for 11 years old boys and girls!” (Minhas dicas para rapazes e meninas de 12 anos). Acho que a Ânia foi bem assertiva nas dicas, que na verdade valem para qualquer idade, não somente para adolescentes. Cuidar da pele, valorizar os pais, não deixar comida no prato e todos outros ensinamentos que ela apresenta devem ser colocados em prática desde cedo. Quem sabe essa é a teoria da boa vida.

  1. Youtube: Mulher e a sua independência Parte 2 canal Eh Bonito

Youtube é um espaço de aprendizado, diversão e motivação sem igual. Eh bonito é um canal da empreendedora moçambicana Daisy Gonçalves que eu com certeza recomendo. Tanto no blog, como no canal podemos encontrar dicas de beleza, moda e estilo de vida. O meu vídeo preferido até agora é “ Mulher e a sua independência parte 2” que exibe uma conversa com 4 mulheres empreendedoras (e não só), são histórias inspiradoras que levam a reflectir de sobre como podemos realizar os nossos sonhos, mesmo com os imensos desafios que temos na vida.

Como a Dita bem disse: Temos que arriscar. Se correr bem melhor, se correr mal foi uma experiência.

 

  1. Blogosfera: Seja o arquitecto da sua Vida escrito por Marta Mulungo

Em Agosto tive oportunidade de conhecer pessoalmente uma mulher que já admirava a vários anos, a Psicóloga e Coach Marta Mulungo. A sua empresa MM Coaching ajuda pessoas a alcançar os resultados através de sessões de coaching, workshops e formações. Na minha jornada de autoconhecimento, tenho lido muito sobre desenvolvimento pessoal e o texto da Marta “Seja o arquitecto da sa Vida” dá uma visão clara das mudanças que podemos fazer para ter controle sobre a nossa vida.

 

  1. Internacional: The Middle Finger Project

A vida de escritora não é um mar de rosas, as vezes dá um bloqueio criativo enorme, que nem sei como continuar um texto. Numa pesquisa recente conheci o The Middle Finger Project, um blog da irreverente CEO e escritora americana Ash Ambirge. O blog é completo para quem quer começar um negócio, tem textos sobre marketing, finanças e negócios. Eu até fiz subscrição para receber 25 dicas de negócios que foram super úteis.

A minha de links fica por aqui. Não esquece de enviar links interessantes para o e-mail ola@empreendedorasolo.com . Vamos empreender?

Qual é a melhor idade para começar um negócio?

Diariamente nós fazemos escolhas. As escolham pode ser sobre a roupa que vamos vestir, o tipo de pequeno-almoço, a lista de tarefas do trabalho e por aí em diante. Certas escolhas exigem-nos maior cautela porque tem impacto na nossa vida a médio e longo prazo. Iniciar um negócio é uma escolha que não deve ser tomada de ânimo leve, pois afecta-nos muito mais do que imaginamos. O nosso bem mais precioso, a SAÚDE, fica em risco quando simplesmente colocamos de lado essa pergunta: quando vou começar o meu negócio?

Este mês é dedicado a campanha Setembro Amarelo, uma iniciativa global de prevenção ao suicídio. Segundo a Organização Mundial da Saúde, problemas de saúde mental como a depressão, perturbações de personalidade, abuso de álcool e de substâncias são factores de riscos para o suicídio. A minha atenção vai para a depressão, uma doença que evitamos falar, diagnosticar e procurar tratamento, pois em Moçambique ainda é tabu falar sobre saúde mental.

A OMS define a depressão como:

um transtorno mental comum, caracterizado por tristeza, perda de interesse, ausência de prazer, oscilações entre sentimentos de culpa e baixa autoestima, além de distúrbios do sono ou do apetite. Também há a sensação de cansaço e falta de concentração.

Imagino que você deve estar a se perguntar: Mas qual é a relação entre depressão e empreendedorismo? Uma das características da depressão é a tristeza, um dos melhores textos que já li sobre a tristeza foi do Dr. Miguel Lucas, que afirma que a tristeza “obriga-nos” a dar atenção a algo que precisa ser resolvido, melhorado ou compreendido. Então, como uma empreendedora pode resolver o problema do cliente e deixar de lado o cuidado de si mesma? Já parou para pensar se a tristeza que sente ou sentiu está relacionada com a sua escolha profissional? Se a resposta for positiva, é altura de procurar ajuda profissional para reverter a situação.

Quanto a melhor idade para começar um negócio, também encontro uma relação com a saúde mental. Na minha opinião a melhor idade para começar um negócio é entre os 18 aos 25 anos de idade. Nesta fase a mulher maior capacidade para adquirir novas habilidades, busca ajuda com facilidade e tem mais foco no desenvolvimento profissional. Pelo que tenho observado no quotidiano e nas redes sociais, as mulheres desta faixa etária falam abertamente sobre a saúde mental, já desenvolveram muitas habilidades positivas para empreendedoras, tais como: auto conhecimento, pensamento crítico, negociação, falar em público, criatividade e flexibilidade.

Enquanto escrevia este texto, recordei-me das vezes que ficava em frente ao espelho enquanto me preparava para mais um dia de trabalho e sussurrava para mim mesma “Estás velha para isso”. Eu concordei comigo mesma e resolvi utilizar essa “velhice” como força (experiência) para o negócio.

No final, a minha mensagem é:

Escolha quando vai começar um negócio o mais cedo possível. A sua saúde mental também conta. Pode ter 20 anos e decidir que vai começar o negócio aos 25, 30 ou 40, o importante é dedicar algum tempo para preparar-se emocional e financeiramente para ter o seu próprio negócio.

Estante de Livros #1| The Marshmallow Test- Understanding Self-Control and how to master it

Leitura, um hábito imprescindível para empreendedoras. Seja jornal, revistas da área de actuação ou livros. O importante é manter a nossa mente aberta para novas descobertas e formas de ver o mundo.

Confesso que a minha lista de literatura obrigatória para negócios não é extensa, mas tento ultrapassar a minha meta mensal de um livro.

Há alguns dias atrás fui a Mozarte- Centro de Recursos Juvenis para um encontro com o grupo de artistas, e fiquei surpreendida com uma mini biblioteca na Sala de Informática. Comecei a apreciar a mesa, um livro de capa ver saltou-me aos olhos e logo pensei: Esse será o primeiro livro da Estante de Livros do meu blog. E aqui está uma publicação sobre o livro. Ansiosa para saber?

Imagem: Amazon.com

The Marshmallow Test- Understanding Self-Control and how to master it de Walter Mischel

A minha tradução livre para português seria: O teste de Marshmallow- Entendendo o auto-controle e como domina-lo.

O livro aborda sobre o famoso de teste de Marshmallow conduzido numa escola primária nos Estados Unidos da América nos anos 70. O teste consistia em apresentar a uma criança um Marshmallow e dar duas opções: comer um agora ou esperar para comer dois. O teste de Marshmallow provou que a capacidade de esperar pela gratificação nas crianças tinha influência na vida adulta.

Como uma ferramenta de estudo no campo da psicologia, o teste foi replicado em diversos países e grupos sociais, o que tornam o livro interessante. Particularmente, penso que compreender o nosso ser psicológico é um dos primeiros passos para lidar connosco e com os outros.

Infelizmente não vou fazer resenha do livro, mas vou partilhar três trechos que anotei para reflectir.

  1. Muitos anos passaram, mas gradualmente emergiu um modelo de como trabalham a mente e o cérebro das crianças e adultos lutando para resistir as tentações e ter sucesso. Como o auto-controle pode ser alcançado-não somente por ensinar isso ou dizer “Não” mas mudando a maneira como pensamos.
  2. Nos primeiros anos de vida, algumas pessoas são melhores do que os outros em desenvolver auto-controle, mas frequentemente todos podem encontrar formas de tornar isso simples.
  3. A tristeza e confiança nas pessoas influenciam para alguém optar por gratificação imediata.

Então, já parou para pensar se na infância teria sobrevivido ao teste de Marshmallow? O prémio poderia não ter sido um doce como Marshmallow, mas outro objecto de sonho na sua infância. Eu não sei se teria sobrevivido ao teste se o prémio fosse um sorvete.

O livro disponível na Mozarte está em inglês, se está confortável com a língua no Amazon (https://www.amazon.com/Marshmallow-Test-Understanding-Self-control-Master-ebook/dp/B00KMZO0JU) pode ser adquirido em diferentes formatos, livro capa dura ou áudio. Mas se pretende em português pode consultar a livraria mais próxima de si ou Estante Virtual https://www.estantevirtual.com.br/livrariacultura/walter-mischel-the-marshmallow-test-1030897887

Gostou do livro? Partilhe comigo o livro que você está lendo.