Como preencher o canvas parte IX: Estrutura de custos

O mundo está nas mãos daqueles que tem a coragem de sonhar e de correr o risco de viver os seus sonhos.

Paulo Coelho

Diariamente somos expostas  as famosas frases motivacionais. O empreendedorismo é pintado de cor de rosa, com um final feliz como nas histórias das princesas da Disney. Felizmente, somos mulheres maduras, já não caímos em qualquer conversa doce. Queremos empreender sim, mas já sabemos que esse nosso pequeno grande sonho tem custos.

Aqui no blog, começamos a falar do modelo de negócios canvas. Uma ferramenta flexível que permite estruturar um negócio, desenvolvido por Alexander Osterwalder.

Se está a acompanhar esta série de textos sobre o modelo de negócios Canvas, pode rever os blocos anteriores no link abaixo.

  1. Proposta de Valor
  2. Segmento de Clientes
  3. Canais
  4. Relações com Clientes
  5. Fontes de Receitas
  6. Recursos-chave
  7. Actividades-chave
  8. Parceiros-chave

Hoje, chegamos ao fim da série como preencher o canvas e vamos tratar do bloco: Estrutura de custos.

Na estrutura de custos, descreve-se os custos da empresas  que permitem um modelo de negócios funcional.  Os custos são todos gastos necessários para produção ou aquisição de produtos e serviços. Agora percebemos por que é aconselhável preencher o bloco dos custos por último. Nesse campo revemos muitos campos anteriores para identificar os custos do negócio.

 

De forma a completar o bloco com clareza, pode se guiar nas seguintes perguntas:

– Quais são os custos mais importantes do modelo de negócios?

– Quais são os recursos-chave mais caros?

– Quais são as atividades-chave mais caras?

 

A estrutura de custos varia de negócio para negócio e principalmente da capacidade financeira da empreendedora. Há negócios que se baseam nos custos, desde o princípio a empreendedora procuram menos custos para oferecer a proposta de valor, como é o caso da PEP. Mas há aqueles negócios que se baseam na proposta de valor, numa qualidade e exclusividade dos seus produtos que nem se preocupam os custos, um exemplo clássico é a Louis Vitton.

 

Seja qual for o seu sonho empreendedor, não se abale com a estrutura de custos. Aprende como começar pequeno, com o que tem e onde está. E inspiração, é o que não nos falta aqui em Moçambique. Vamos empreender?

 

Novidade

Sabia que pode ter um modelo de negócios gratuito durante o mês de Junho. Envie um e-mail para ola@empreendedorasolo.com e faça parte dessa promoção especial para mulheres empreendedoras.