Como preencher o canvas parte VII: Actividades-Chave

Estamos na fase final da série de publicações sobre o modelo de negócios Canvas. Uma ferramenta prática que dá uma visão ampla do negócio. Pode ser aplicada tanto para quem está a começar um negócio, como para quem já tem um e pretende uma estrutura de negócios eficiente.

Os blocos do modelo canvas que  já abordamos aqui no blog são:

1.    Proposta de Valor

2.       Segmento de Clientes

3.       Canais

4.       Relações com Clientes

5.       Fontes de Receitas

6.       Recursos-chave

O sétimo bloco a ser preenchido é: Actividades-chave.

Todos temos uma rotina diária. Se for um dia útil da semana, o nosso cérebro já sabe que acções executar para sair de casa para o trabalho. Tomar banho, escovar os dentes, vestir, tomar o pequeno-almoço, rezar e já estamos prontos para sair de casa.

No negócio acontece o mesmo, existe um conjunto de actividades diárias que são realizadas para que o negócio funcione de forma plena e eficiente. No modelo canvas, essas actividades ou processos são denominados actividades-chave.

A descrição das actividades-chave varia de negócio para negócio, pois estas actividades estão relacionadas com os outros campos do negócio: proposta de valor, canais, relações com clientes e fontes de receitas. Por isso, antes de preencher o bloco de actividades-chave, é importante rever as respostas dos blocos anteriores no modelo canvas.

A qualidade das respostas depende da qualidade das perguntas. Assim, para preencher o bloco actividades-chave de forma correcta, levamos em consideração as seguintes perguntas:

1.       Que actividades devemos desenvolver para que a proposta de valor funcione correctamente?

2.       Que canais de distribuição devemos desenvolver?

3.       Que actividades devemos priorizar nas relações com os clientes?

4.       Que actividades devemos desenvolver para que as fontes de receitas funcionem correctamente?

Nessa fase, já estamos mais familiarizidas com o modelo canvas, que as respostas podem surgir rapidamente. Parece óbvio que se o  negócio é confecção de bolos, o estoque de ingridientes deve ser conferido constatentemente. Se tiver um serviço de entrega ao domicílio, os clientes devem ter essa informação e a viatura deve estar abastecida. Estes são alguns exemplos de actividades-chave para o negócio mais delicioso do mundo.

O modelo canvas é fléxivel, tanto as actividades-chave como os restantas blocos do quadro podem ser ajustados ao longo do tempo. O importante é utilizar a ferramenta com frequência , avaliar os resultados e reajustar as estratégias. Vamos empreender?

 

 

 

Como preencher o Canvas parte VI: Recursos-Chave

Abril já está no fim, mas os momentos bons e menos bons ficam na memória. Para mim, o mês de Abril teve muitas mudanças, novo desafio profissional, novo país e principalmente oportunidades de reviver a minha trajectória empreendedora.

Bem no início do mês, reencontrei um cliente que tive no primeiro negócio a quase dez anos atrás. Na altura estavamos envolvidos na produção de uma revista, viajei para Funhalouro e mais 3 distritos de Inhambane, conheci histórias de luta de homens e mulheres que garantem comida saudável nas nossas mesas. Mesmo com o fim do primeiro negócios, esses momentos não se apagam da memória. E quando retornam, vem acompanhados de saudade, culpa, questionamentos.

Por isso, venho com mais uma publicação sobre o modelo de negócios Canvas. A visualização e planeamento do negócio na fase inicial, pode reduzir esse conjunto de sentimentos que temos quando algo corre mal ou mesmo o negócio chega ao fim. E mais, como o modelo pode ser ajustado ao longo do processo de criação do negócio, há mais chances de sucesso.

O sexto bloco a ser preenchido no Canvas é o Recursos- Chaves. Esta parte foca os recursos necessários para tornar a proposta de valor, os canais de entrega, o relacionamento com clientes e as receitas completamente funcionais.

É comum encontrar empreendedores que ainda não deram o primeiro passo para o negócio por falta de dinheiro. Quando nos dedicamos aos recursos-chave do negócio, percebemos que os recursos vai além do dinheiro disponível.  Recursos-chave para o negócio inclui: principais activos (bens,valores ou direitos que podem ser convertidos em dinheiro), recursos intelectuais (bens inantigíveis como: música, livro, marca registrada), recursos físicos (cadeiras, mesas,quadros) e recursos humanos (equipa com formação e experiência relevante).

Este é um erro popular, desde o momento que queremos iniciar o negócios, só pensamos no dinheiro, dinheiro e dinheiro. Quem sabe se nos dedicarmos mais tempo a investigar os restantes recursos que temos ou que podemos aceder com facilidade junto da família, amigos e até do governo, encontramos a resposta para preencher o bloco recursos chaves.

Nem sempre é fácil pensar nos recursos que temos para o negócio. Quase dez anos depois, fico a pensar nos recursos que tive disponível para continuar o negócio, mas não tinha conhecimento e maturidade suficiente para ver isso. Mas como estamos aqui para aprender e partilhar o que sabemos, tenho certeza que você fará um trabalho melhor. Vamos empreender?